Palavra do conselheiro: muito além das dicas de moda.


 

Os pilares de sustentabilidade social, consumo consciente e os questionamentos que a Oriba traz como marca vai muito além do que é palpável. Existe algo que é pouco visto e quase nunca questionado: o lado de dentro da empresa. Nada melhor que um conselheiro da marca para dar o seu testemunho. É sobre isso que vamos falar. 

Antes da minha entrada na Oriba, moda sustentável sempre foi um termo muito distante da minha realidade. Afinal, tudo o que era de qualidade, eu tinha a impressão de que não cabia no meu bolso. Como muitas pessoas, me rendi diversas vezes a procurar sempre o mais barato, sem me preocupar muito com a durabilidade do produto. O que pode ser considerado bem errado, eu sei disso, mas como iria entender o impacto que o meu estilo de consumo poderia trazer para a sociedade? As discussões sobre consumo consciente e sustentabilidade social nunca foram assuntos recorrentes na minha vida.

Muito longe dos bairros Jardins ou Pinheiros, existem locais com as mais diversas atmosferas ainda dentro da cidade de São Paulo. A desigualdade grita por toda a cidade. E não estou falando somente de dinheiro, mas sim, da falta de acesso à informação e à cultura, além de vários outros fatores que, se eu for abordar aqui, o texto ficará muito mais extenso do que deveria.

Quando eu comecei a trabalhar na Oriba, encontrei uma atmosfera extremamente diferente da que eu vivia. Aqui, nós não somos vendedores, mas sim, conselheiros: pessoas dispostas a partilhar conselhos, independente do valor que será a compra realizada por um cliente. A nossa seleção de conselheiros é uma das mais diversas possíveis. Cada uma com seu estilo, pensamento sócio-político diferente e com suas bagagens de vida. Entre um atendimento e outro, fui conhecendo melhor cada uma das pessoas, o discurso e os pilares da marca, assim como pude também conversar de forma aberta sobre racismo estrutural, feminismo, homofobia e posicionamentos políticos.

Quando a Oriba foi idealizada pelos sócios Rodrigo, Marcelo e Paulinho, a ideia surgiu da possibilidade de contribuir com a educação, o que se transformou no projeto 1 por 1, que doa kits escolares a cada peça vendida. Dentro de todas as ideias e pilares da marca, um dos pontos de maior destaque é a defesa do slow fashion, que é, também, um convite para repensarmos a forma de consumir. Além disso, a Oriba também abriu espaço para jovens como eu, que pouco sabiam da importância que a sustentabilidade social e consumo consciente poderia ter. Muito mais que o aprendizado sobre tudo isso que eu mencionei, acabamos nos tornando uma rede de apoio. O que faz com que eu me sinta em casa, mesmo no trabalho.

Foi assim que eu comecei a repensar não somente o meu guarda roupa, como também o meu estilo de vida. Hoje eu vivo com uma quantidade menor de roupas, e tem sido muito mais prático do que parece. Ao adotar um estilo minimalista e decidir consumir somente peças que realmente gosta, você descobre novas funcionalidades para as roupas que você já tem. Não é necessário abrir mão do gosto por moda para se tornar minimalista. Com criatividade, é possível encontrar novas possibilidades e, consequentemente, o seu estilo de vida.

O básico traz novas possibilidades. 

O básico te leva a criar visuais cheios de autenticidade e garantem que você se vista de forma mais mais clean e sofisticada. Como muitos, sempre precisei de praticidade na hora de escolher minhas roupas. Por isso, nada melhor que uma boa camisa para compor um look casual e despojado ao mesmo tempo. Para quem quer mais dinamismo na hora de escolher o que vestir, recomendo a escolha de tênis brancos ou pretos. Eles combinam com absolutamente tudo. 

É comprovado que as pessoas reparam muito mais no nosso dorso, então repetir calças não é um problema. Um truque é usar de formas diferentes, seja com a camisa para fora ou com uma camiseta para dentro. O caimento é extremamente importante na hora de decidir quais peças comprar, nada deve ficar muito justo e o que vale é o conforto. Aposte em peças que te deixem à vontade.

A minha dica para quem deseja rever seu estilo é começar por uma camisa branca, camisetas básicas pretas e brancas e calças em tons neutros, que tragam um ponto de cor diferenciado no visual. Atenção também aos detalhes: eles sempre dão um ar diferente e especial, seja um óculos, uma pasta ou até mesmo uma sobreposição. 

Caso você esteja repensando o seu jeito de se vestir, o meu conselho é que faça isso de forma leve, descontraída e natural. Pense que, através de nossas roupas, nos expressamos ao mundo. Se surgir a dúvida na hora de compor um look, pergunte-se: qual história eu quero contar hoje?

Escrito por João Alves - Conselheiro Oriba 
Fotos: Antonio Machado - Conselheiro Oriba

Deixe um comentário


Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados



Sale

Unavailable

Sold Out